WEB

BUSCA NO SITE

Edição Atual Edições Anteriores Adicione aos Favoritos Defina como página inicial

Indique para um amigo


O Evangelho com
busca aleatória

Biblioteca Virtual
 
Biografias
 
Filmes
Livros Espíritas em Português Libros Espíritas en Español  Spiritist Books in English    
Mensagens na voz
de Chico Xavier
Programação da
TV Espírita on-line
Rádio Espírita
On-line
Jornal
O Imortal
Estudos
Espíritas
Vocabulário
Espírita
Efemérides
do Espiritismo
Esperanto
sem mestre
Links de sites
Espíritas
Esclareça
suas dúvidas
Quem somos
Fale Conosco

 

Biblioteca Virtual

Para visualização da maioria dos livros é necessário o aplicativo Adobe Acrobat Reader. Caso não tenha, faça o download gratuito no link ao lado. Clique para baixar o programa
Em cumprimento a Lei 9.610 de 19/02/98 sobre direitos autorais, alguns dos livros são oferecidos para uso exclusivo de deficientes visuais. Contamos com sua compreensão e respeito.


 
 

Chico Xavier - Coleção Completa
Obras do nº 321 ao 33
0


REFÚGIO

Espírito: Emmanuel
Livro - 321 / Ano - 1989 / Editora -
IDEAL

 

Quase que, por toda parte da Terra, encontramos os companheiros sofredores ou desorientados, à feição de viajores sem bússola, que lhes aponte o rumo certo.
Muitas vezes, estarão detendo a fortuna amoedada e outros exibem superioridade intelectual manifesta pela inteligência cultivada que já conquistaram, mas transportam consigo o íntimo atormentado que procuram disfarçar. Isso, porém, não os torna menos infelizes.
Tanto quanto ocorre aos irmãos francamente desventurados, seja pela penúria material ou por amargas provações ocultas, guardam a impressão de que o frio da adversidade lhes vergasta a vida por dentro de si mesmos.
E a lista desses companheiros se alonga, cada vez mais, conforme se nos faz possível relacionar: os doentes; os desabrigados; os esquecidos; os angustiados; os perturbados; os tristes; os cansados; os desesperados; os quase suicidas; os abandonados; os revoltados; os desanimados; os desiludidos; os arrependidos; os desvalidos; os insatisfeitos; os desnorteadores; os marginalizados; os injuriados; os que carregam o fardo da direção; os que administram, entre a inquietação e a responsabilidade; os subalternos incompreendidos; os desempregados por culpa própria; os que cometem atos puníveis pela justiça; os desertores do próprio dever; os sanatorizados sem razão; os acusados por faltas que não perpetraram; os que a necessidade costuma enlouquecer de sofrimento; e tantos outros que não conseguimos enumerar.
Para esses companheiros sob a ventania das provações foi escrito este livro. Por isso mesmo, denominamo-lo "Refúgio". Que este refúgio de paz e amor, compreensão e boa vontade, possa confortá-los e reerguer-lhes o ânimo, em nome de Jesus, nosso Divino Mestre e Senhor, são os nossos votos.

Emmanuel
(Uberaba, 15 de Março de 1989)


HISTÓRIAS E ANOTAÇÕES
Espírito: Irmão X
Livro - 322 / Ano - 1989 / Editora - CEU

Amigo leitor
Conta-se que Tirésias, o sábio, já muito idoso e quase cego, habituado ao contato com a multidão, se reunia com numerosos populares nas praças de Tebas, de cuja grandeza ainda restam as ruínas de várias cidades, dentre a quais se destacam Luxor e Karnak, a fim de comentar as suas lembranças para os circunstantes, em grande número, que o ouviam com atenção.
Tamanha era a ligação do orador com o espírito popular, nas narrativas e anotações de que ele se fazia mensageiro, que a presença dele é recordada até hoje, na memória da humanidade.
Muito semelhante à ligação desse sábio com a mente do povo é a identificação do irmão X, o culto escritor brasileiro, que soube cultivar na comunidade da nossa Pátria a admiração e o respeito.
Este livro lhe traz, leitor amigo á personalidade original, instruindo-nos e edificando-nos, ao mesmo tempo.
Para reconhecer-lhe a altura da inteligência  e a nobreza da cultura nobremente conduzida, entregamo-te este volume este que nos fará sorrir e meditar.

Emmanuel
(Uberaba, 
18 de Junho de 1989)


FÉ, PAZ E AMOR
Espírito: Emmanuel
Livro - 323 / Ano - 1989 / Editora -
GEEM

Leitor amigo
- "Que poderemos fazer individualmente para auxiliar ao nosso mundo, atualmente em crise quase que por toda parte?"
Este é o resumo de várias indagações de amigos ainda vinculados à vida física, ansiando colaborar no alívio às tensões que, presentemente, assinalam o cotidiano da Terra.
Não dispomos de autoridade para indicar essa ou aquela medida, tendentes a elevar o nível de progresso e espiritualização da coletividade terrestre, entretanto, não ignoramos que o trabalho é a base de todas as realizações do engrandecimento humano. E sobre semelhante alicerce, conhecemos a força da cooperação individual em três caminhos que se entrelaçam e se confundem no mesmo contexto de ação, na conquista da felicidade real para todas as criaturas.
Essas três estradas, acessíveis a cada um dos seres humanos, são as seguintes: a fé, a paz e o amor.
Fé: - Somos todos compelidos a reconhecer que nos achamos, encarnados e desencarnados, num mundo que não construímos e que funciona sob as leis exatas, suscetíveis de serem analisadas com o nosso próprio raciocínio. Nessa observação, indentificamo-nos no lugar certo para desenvolver a nossa mente, confiando em Deus, o Criador da Natureza e da Vida e confiando em nós mesmos.
Paz: - A paz começará de nós próprios, a fim de irradiar-se na direção de quantos nos cerquem ou convivam conosco, somando-se à paz que os outros exteriorizem, de modo a que a vida, onde estivermos, possa atingir os domínios da Harmonia que, de futuro, nos regerá os destinos.
Amor: - Todos os ensinamentos filosóficos estão sintetizados nesta afirmação de Jesus: - "Amai-vos uns aos outros como vos amei".
Amor-compreensão que não espera ser amado por todos os que ainda não nos podem compreender. Amor-renúncia, de modo a sermos colaboradores da felicidade alheia; amor que abrace todas as faixas da Natureza, estendendo-se a todos os seres em evolução, do verme aos astros, a fim de nos integrarmos na Essência de Deus, o Autor do Universo.
Note, o amigo leitor, que a verdade fala por si mesma.
Ergamos a moradia espiritual sobre os alicerces do trabalho, de conformidade com os nossos deveres, e, aprendendo e progredindo, começaremos a nossa edificação sobre os pilares da fé, da paz e do amor; e, com enorme ganho de tempo, alcançaremos as luzes da Vida Maior.

Emmanuel
(Uberaba, 8 de Janeiro de 1989)


SEMEADOR EM TEMPOS NOVOS
Espírito: Emmanuel
Livro - 324 / Ano - 1989 / Editora -
GEEM

Entardece o Segundo Milênio da presença de Jesus Cristo entre os homens.
Vinte séculos de ensinamentos inesquecíveis.
Desde o princípio dos tempos novos, o Ocidente acendeu as chamas da guerra em quase todas as direções.
As lições do Cristo foram alteradas nas interpretações daqueles que se decidiram a formar organizações religiosas, em nome do Divino Mestre. E a Terra foi pisoteada, revolvida, fendida e massacrada nos conflitos a que se deram as nações do Globo, dominando povos ou sofrendo-lhes as reações sanguinolentas. A Estatística, por mais minuciosa, não pode relacionar com exatidão os milhões de seres humanos que tombaram nos campos de batalha, disputando vantagens e hegemonias.
Das flechas incendiadas aos mísseis da atualidade, quase dois mil anos são transcorridos e a inteligência humana continua engenhando instrumentos de destruição.
É por isso que os ensinamentos do Cristo, sem qualquer deformação, volta atualmente, com mais intensidade, à esfera dos homens, conclamando-os a se voltarem para os domínios do sentimento, a fim de que a Paz e o Amor se estabeleçam na Terra.
Esta, em suma, é a razão de apresentarmos ao leitor amigo o presente livro cujas páginas resumem os nossos apelos e esperanças, já que não possuímos qualquer filosofia superior aos contextos do Evangelho de Jesus para ofertar aos companheiros domiciliados no Plano Físico. E, alçando os nossos pensamentos e aspirações ao Nosso Senhor e Mestre, rearticulamos para as criaturas terrestres a legenda inolvidável que os seus lábios pronunciaram com validade para os tempos:
"Amai-vos uns aos outros como eu vos amei."

Emmanuel
(Uberaba, 25 de Janeiro de 1989)


RAPIDINHO
Espírito: Jair Presente
Livro - 325 / Ano - 1989 / Editora -
GEEM

Elucidação
Depois da aula em que nos achávamos, eis que o amigo Jair Presente me aborda com a gentileza que lhe é característica, apresentando-me um livro datilografado.
- Se possível, pediria à sua bondade ler este nosso novo trabalho, externando a sua opinião. É um volume simples.
Tomei aquele conjunto de páginas com satisfação e li.
O título, porém, me intrigava: 
"Rapidinho".
- Jair, perguntei, o que significa a palavra "rapidinho" na Língua Portuguesa?
O rapaz articulou um sorriso de alegria e compreensão e aduziu:
- "Rapidinho" é o diminutivo da palavra "rápido". Serve para designar textos curtos, informações ligeiras, diálogos sintetizados e narrativas reduzidas no tamanho, sem qualquer prejuízo nas palavras que tratem do objetivo por dizer. Costumamos repetir entre nós, os estudantes de nossa Faculdade: "este documento pode ser lido rapidinho" ou então para solicitar determinado favor a um colega: "por obséquio, datilografe este bilhete para mim, é rapidinho".
Sempre pensei compor algo leve, sem contorno desnecessário, entendendo-me com o leitor no mínimo de tempo. Pensei, pensei e produzi este livro, à maneira de opúsculo, usando o mínimo de apresentação de minhas pobres conclusões e pensamentos, em torno de minhas observações e de fatos considerados sem importância.
Este pequeno volume me escapou da mente e do coração, com destino ao coração e à mente dos nossos irmãos que não dispõem de tempo bastante para se dedicar aos grandes livros.
Compreendo que os grandes livros são vigas notáveis da cultura e da inteligência, mas o senhor não julga importante promover as anotações dos serviços literários mais humildes, tão pequenos e desvaliosos quanto eu mesmo, para quem, muitas vezes, só consegue mobilizar alguns minutos para a leitura, quais os momentos em que é obrigado a se valer de um ônibus ou de um banco de metrô para atingir o lugar de serviço em que se encontra engajado?
Quem poderia contrariar os argumentos de Jair, desde cedo habituado a refletir nas dificuldades alheias?
- Compreendo, acrescentei, todos os textos do seu livro são rigorosamente doutrinários. O leitor ganhará conhecimentos nobres, com a vantagem de aprender sorrindo... Tome o seu trabalho e promova os meios de divulgá-lo. O seu livro, aliás, é um respeitável companheiro, nas idéias que nos transmite.
Foi assim, amigo leitor, que este volume nasceu de um coração juvenil em nosso benefício.
Que as anotações e apontamentos sintéticos do Autor possam enriquecer-nos a todos, de otimismo e de instrução, para seguirmos com mais segurança nos caminhos da vida, são os nosso votos.

Emmanuel
(Uberaba, 05 de fevereiro de 1989)


PORTO DE ALEGRIA
Espírito: Diversos
Livro - 326 / Ano - 1990 / Editora - IDE

Amigo leitor
Aqui tratamos de um porto que nomeamos como sendo o porto de alegria, para grande parcela de amigos desencarnados.
O companheiro que se vale desse processo de volta ao lar humano, chega, habitualmente, em companhia de outros amigos na mesma condição, com a promessa de se lhe proporcionar o contato possível com a família que deixou na Terra.
O reconforto se lhe extravasa do coração e, da praia, segue conosco para o recinto onde se fará o tentame.
Os entes queridos sentem-se à influência, em forma de ansiedade e júbilo imprevisíveis, sem conseguir vê-lo materializado, entretanto, ele escreve as impressões que recolhe da Vida Espiritual, em forma de carta, em que transmite aos familiares e amigos as suas notícias pessoais repletas de anotações características e dos ensinamentos que lhe fluem do íntimo.
Quando os familiares aceitam semelhantes textos de reconhecimento e de amor, o espírito se lhes transborda de felicidade e paz, e quando não aceitam, costumam voltar chorosos e tristes, mas sem perder a certeza de que lhes serão facultadas novas experiências.
E, de regresso à vida nova em que se encontram domiciliados, o amor e a saudade voltam a povoar-lhes os corações.
O barco, estruturado em recursos de matéria sublimada do Mundo Maior, põe-se de regresso e a vida prossegue no movimento evolutivo, a que se ajusta.
Eis, leitor amigo, a história simples dos comunicantes deste livro, que te entregamos por noticiário dos barcos que singram distâncias imensas com o objetivo de trazerem, aos companheiros do mundo físico, as mensagens de paz e esperança, luz e amor. Boa leitura, é os nossos votos.

Emmanuel
(Uberaba, 06 de julho de 1990)


SENTINELAS DA LUZ
Espírito: Diversos
Livro - 327 / Ano - 1990 / Editora - DEU

Nas informações simbólicas da Bíblia conta-se em Gênesis:1-3, Disse Deus:
“Haja luz! e houve luz”.
Assim para a Terra em formação fez-se o Dia e a Noite.
Das trevas imensas sobre as quais a Bíblia faz ligeira frase, o homem iniciou a luta contra a escuridão.
Usou a tocha impregnada de resinas inflamáveis, à vela, os gases, a lamparina, o lampião por muito tempo para a descoberta do uso de semelhantes elementos, até que através de Edson e os seus continuadores, sempre seguidos de guardas que os protegiam contra as agressões da vida exterior, inventou a lâmpada elétrica.
De igual modo, nasceu à luz espiritual desenvolvida pelo próprio homem para a aquisição do conhecimento.
Comunicaram-se as criaturas por sinais luminosos através das sombras, começaram a esculpir na pedra os primeiros caracteres que lhes definissem as linguagens, criaram os regimentos da escola primária, os mais inclinados à meditação inventaram letras e o modo de gravá-las em seguida umas às outras, inventaram a escrita em rolos de papiros e não descansaram, até que Guttemberg levantasse as frases vacilantes da imprensa que se incumbiu de reproduzir textos escritos para todos os povos, reclamando a dedicação de legiões de espíritos interessados no conhecimento superior.
De etapa em etapa, o homem despendeu séculos de esforço para  alcançar o artesanato e daí partir para as realizações da atualidade.
O mesmo combate da luz com as  trevas para que os homens alcançassem as luzes da alma prossegue há milênios, para que cada um se expresse sobre a vida, estabelecendo critérios pessoais, nos alicerces do entendimento.
E as sentinelas da luz estão em todos os lugares da Terra, promovendo a competência, desde os chamados “começinhos de vida das crianças”, às universidades em que as criaturas humanas se especializam em determinadas experiências, com as quais dignificam a luz espiritual.
Eis por que todos esses empreendimentos demandam  a união de milhares de pessoas que trabalham a benefício dos que procuram aprender.
Assim somos nós todos na Vida Maior, procurando o aperfeiçoamento  de que necessitamos.
Todas as conquistas humanas não aparecem por geração espontânea. Exigem esforço, atenção, perseverança, trabalho máximo, repetição, devotamento e vontade de auxiliar ao próximo, nos quais milhões de nós outros, os espíritos desencarnados, estamos envolvidos, na condição de instrutores e aprendizes uns dos outros.
Este livro nascença condição de ligeira notícia do serviço de cooperação em conjunto, em que cada autor dessa ou daquela página, apresenta o que pensa, o que deseja e o que faz.
Todos somos sentinelas da luz pela atividade que despendemos para que a luz da compreensão e da paz se estabeleça no mundo.
Em síntese, queremos dizer que toda criatura humana que aspira a sublimação de si mesmo, precisa confiar em Deus e trabalhar.

Emmanuel


PERANTE JESUS
Espírito: Emmanuel
Livro 328 / Ano - 1990 / Editora - IDEAL

Certa feita, convidou-nos o Divino Mestre: - "Vinde a mim, todos vós que sofreis e vos aliviarei..."
E através do tempo, todos nós, os que nos consideramos imperfeitos e infelizes, fomos a Ele, a fim de ouvir-Lhe as instruções.
Os oprimidos e aflitos, os doentes, os cansados, os sedentos de justiça, os desarvorados, os desvalidos, os desamparados, os perseguidos, os caluniados, os tristes, os desesperados, os fracos, os irritadiços, os incompreendidos e toda uma legião de sofredores, buscamo-Lo, avidamente, aguardando-Lhe os ensinamentos e promessas, manifestando-nos em torno dele, qual ocorre neste livro.
E o Divino Mestre respondeu-nos com as instruções da Boa Nova, cuja validade é definitiva para todos os tempos.
Amparou-nos o Senhor, reconfortou-nos, esclareceu-nos, traçando-nos os caminhos para chegarmos até Ele e reconhecermos a nós mesmos, expressando-se claramente, com vistas a todos os povos.
Reergueu-nos o ânimo e guiou-nos para a Verdade e para o Bem, iluminando-nos o coração e a inteligência.
Cabe-nos, agora, a obrigação de escutar-Lhe as orientações e acompanhar-Lhe os exemplos que Lhe caracterizam a Grandeza.

Emmanuel
(Uberaba, 19 de Janeiro de 1990)


PÉTALAS DA PRIMAVERA
Espírito: Diversos
Livro - 329 / Ano - 1990 / Editora - UEM

E as pétalas
Desprendem-se das flores,
Enviam o perfume que distilam
Para o Alto, sempre mais Alto,
Em reverência a Deus...

E depois se espalham pela Terra
Em sinal de agradecimento
Pela cor e beleza, aroma e vida,
Com que o mundo as fez,
Belas e brilhantes.

Emmanuel
(Uberaba, 12 de janeiro de 1990)


DOUTRINA DE LUZ
Espírito: Emmanuel
Livro - 330 / Ano - 1990 / Editora -
GEEM

Séculos transcorreram sobre séculos e os ensinamentos de Cristo, na Terra, foram alterados, omitidos, deformados, ironizados ou esquecidos.
Entre os homens, porém, as guerras continuaram regulares e sanguinolentas multiplicando ódios e promovendo matanças.
Se muitos povos que se confessam cristãos continuaram mantendo o clima de separatividade e discórida, legiões numerosas de espíritos dedicados ao Princípio da Paz prosseguiam mantendo a simplicidade dos ensinos do Divino Mestre que chegaram aos nossos dias.
Perseguições e medidas tirânicas foram assacadas contra eles, os aprendizes fiéis do Senhor, entretanto, não se renderam ao despotismo e a maior parte das mensagens de Jesus, tão vivas e atualizadas qual se houvessem sido laqueadas hoje, sustentam as colunas da verdade, ensinando às comunidades humanas o caminho da felicidade e da paz.
Este livro é constituído por diversas páginas de amor e esperança desta hora do mundo, em que as nações se esforçam por libertarem dos "regimes de terror", a fim de preservarem a paz na evolução do Planeta.
É por isso, leitor amigo, que lhe ofertamos o presente volume, em cujos textos, os princípios espíritas-cristãos expostos com a espontaniedade e a significação com que o Cristo nos legou, nos levam a reconhecer no Espiritismo, o Cristianismo Redivivo, efetivamente a Doutrina de Luz.

Emmanuel
(Uberaba, 26 de Setembro de 1989)


Voltar à página anterior


O Consolador
 Revista Semanal de Divulgação Espírita